quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Paz
Olá.
Que bom receber a sua visita aqui em meu Blog, espero que você esteja sendo edificado através destas mensagens e estudos que temos colocado por aqui.
Faça também uma Visita em nossa Igreja, na Cidade de Pindamonhangaba/SP, o nosso endereço é Av. Abel Correia Guimarães, nº351 - Bairro Galega (Quadra Coberta) na mesma avenida do SENAI.
Cultos:
Domingo as 19:00hs
Quarta as 19:30
Sexta as 19:30
Que o Grande DEUS e Senhor de nossas vidas, te abençoe em Cristo Jesus.
Pr.Gilberto Neves

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Elias



Elias um profeta que queria morrer.


Elias é um grande exemplo que confirma irrefutavelmente o perfil de um homem deprimido, se não, vejamos: Elias foi um grande profeta do velho testamento. Sua história revela disposição e vigor quanto ao desempenho de seu ministério profético, Elias foi capaz de enfrentar o rei Acabe e denunciar suas perversidades e pecados (I Reis 18. 18), profetizou que não choveria e não choveu (I Reis 17. 1-7). Foi Elias quem orou e Deus mandou fogo do céu para consumir seu holocausto diante de 450 profetas de Baal (I Reis 18. 30- 38); Elias orou e Deus mandou chover sobre a terra (I Reis 18.41- 46).


Além de todas essas experiências Deus manda um anjo alimentá-lo de forma sobrenatural. Após tudo isso, esse homem nos parece indestrutível e inabalável. Porém, ele era homem como nós, sujeito as mesmas paixões. Na verdade, não existem super-homens, todos estão sujeitos a fracassos e a devaneios e é exatamente por isso que depois de tantas experiência Elias cai numa profunda depressão e pede para si a morte - "Temendo pois, Elias, levantou-se e, para salvar sua vida, se foi e chegou a Berseba , que pertence a Judá; e ali deixou o seu moço.
Ele mesmo porém, se foi ao deserto, caminho de um dia, e veio e se assentou debaixo de um Zimbro e pediu para si a morte, e disse: Basta; toma agora ó Senhor, a minha alma, pois não sou melhor do que meus pais" (I Reis 19. 3,4).


Veja só como a depressão perturba o ser humano a tal ponto de deixá-lo totalmente confuso: Primeiro Elias faz o maior esforço para fugir e salvar a sua vida; logo depois, deixa o seu moço e caminha mais um dia para o deserto e ali pede para morrer. É isso mesmo que a depressão faz. Primeiro se luta tenazmente para manter-se vivo, depois perde-se totalmente o desejo pela vida. Note ainda, que antes do desejo de morrer Elias isola-se no deserto, deixando seu moço em Berseba e na solidão do deserto a vida perde totalmente o sentido. Elias estava exausto estressado, cai num profundo sono. Deus então envia um anjo que o desperta e serve a ele um alimento especial: Pão cozido sobre pedras e uma botija de água (I Reis 19. 6), o que mais alguém pode querer num deserto?


Elias alimentou-se e como estava sobremodo exausto, voltou a dormir, novamente apareceu-lhe o anjo que o tocou e ordenou-lhe que comesse, "Elias levantou-se, pois, comeu e bebeu; e com a força daquela comida caminhou quarenta dias e quarenta noites até Horebe, o monte de Deus" (I Reis 19. 8).


Agora imagina-se que está tudo bem, Elias estava forte, estava no monte de Deus, acabaram-se os problemas. Porém ainda não foi desta vez, pois lá no monte Horebe Elias entra numa caverna e mais uma vez se depara com sua depressão Deus então lhe diz: "Que fazes aqui, Elias?" (I Reis 19. 9b). Parece que Deus estava querendo dizer-lhe que aquele não era um lugar ideal para ele. Acontece que a depressão faz isso com o indivíduo. Faz com que a pessoa deseje a morte e se refugie nos lugares mais absurdos. Na verdade, muitos entram por este triste caminho. O suicídio nada mais é do que o desejo extremo de fugir, escapar, de se refugiar, de colocar um ponto final no sofrimento. É também uma pseudo- solução oferecida pelo diabo. Para alguns, é apenas um grito de socorro. A pessoa acha que todos estão indiferentes ao seu sofrimento, se sente só em meio a sua luta, então ameaça com a tentativa de suicídio, a fim de chamar a atenção para si.


Elias diz para Deus que a vida já não tem sentido, pois se sente só, vê as coisas negativamente. Diz que todos se desviaram que todos apostataram da fé e estão indo após outros deuses, Deus então o confronta e lhe diz: nada disso Elias ainda há mais de sete mil que não se dobraram diante de Baal, acabe logo com esse seu pessimismo, pegue um vaso de azeite e vai ungir reis para mim , e é exatamente isso que Deus está dizendo para você, levante-se, saia dessa caverna de auto comiseração pois estou com você.


Há ainda algo muito interessante nessa narrativa bíblica, é o momento em que Elias está esperando por Deus e vem aquela seqüência de fenômenos naturais: Primeiro um grande e forte vento, depois um terremoto, depois do terremoto, um fogo porém Deus não estava em nenhum destes fenômenos, aqui está algo muito interessante talvez Elias estivesse pensando que Deus viria a ele através de uma destas manifestações de forma arrasadora e acabaria com ele, dando-lhe a morte que ele estava a pouco pedindo e quem sabe até como forma de repreensão, porém Deus se manifesta suavemente a Elias através de um cicio tranqüilo e suave, isso mostra que Deus é tremendamente diferente de nós, pois se fosse igual a qualquer homem, Elias estaria condenado, pois era isso que merecia, depois de tantas experiências com Deus ainda duvidou de seu cuidado e teve medo de uma mulher chamada Jesabel, porém Deus é totalmente diferente de qualquer homem, Deus não abriu mão de Elias, na verdade Deus não abre mão de nós, quando todos lhe impõe uma sentença de morte e até mesmo você se condena, Deus vem e lhe diz sai dessa caverna aqui não é o seu lugar, você é meu profeta, ainda que outros lhe vejam diferente, Deus ainda lhe vê como profeta, pois Ele não aceita biografias de nossas vidas escritas por terceiros, Ele nos vê com um olhar diferente pois sempre vê em nós a possibilidade de restauração.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009



UM NOVO DIA PARA JAIRO
PR. ALEJANDRO BULLÓN
"Por que, às vezes, as orações demoram a ser respondidas? Por que, em algumas circunstâncias da vida, Deus parece insensível às nossas necessidades? Existe algo que precisamos aprender por trás das longas horas de espera e da aparente indiferença de Deus?
"Tendo Jesus voltado no barco, para o outro lado, afluiu para Ele grande multidão; e Ele estava junto do mar. Eis que se chega a Ele um dos principais da sinagoga, por nome Jairo,e,vendo-o, prostra-se aos seus pés, e insistentemente lhe suplica: Minha filhinha está à morte; vem, impõe as mãos sobre ela, para que seja salva, e viverá. E Jesus foi com ele. Grande multidão o seguia,comprimindo-o... Falava ele ainda quando, chegaram alguns da casa do chefe da sinagoga, a quem disseram: Tua filha já morreu; por que ainda incomodas o Mestre? Mas Jesus, sem acudir a tais palavras, disse ao chefe da sinagoga: Não temas, crê somente" (Marcos 5:21 a 24 e 35, 36).
Esse texto apresenta Jairo, chefe da Sinagoga. Homem culto, poderoso e com muitos títulos universitários. Jairo era um profissional inteligente, famoso, admirado e rico.
Aparentemente tinha tudo que o homem precisa para ser feliz. Qualquer um que olhasse Jairo andando na rua, pensaria que ele era muito feliz. Roupas finas, carro do ano, uma casa no melhor bairro da cidade, um bom emprego, uma empresa próspera, uma boa família. respeito, consideração, nome. Jairo era o protótipo do homem de sucesso. Mas Jairo não era feliz. Havia algo que o incomodava e machucava seu coração.


Nossa sociedade nos ensinou a esconder nossos verdadeiros sentimentos. Podemos estar vivendo um drama terrível, mas não temos coragem de contá-lo a ninguém.
Outro dia, no Maracanãzinho, um universitário me procurou e disse:
- Pastor, estou condenado à morte, carrego em meu sangue o vírus da AIDS; vou morrer e não tenho coragem de contar para ninguém; não falei sequer para a minha família.
E eu perguntei:
- Por que? Sua família vai apoiá-lo, vai ficar do seu lado.
E ele disse:
- Não, pastor. Tenho medo que todo mundo me rejeite, tenho medo de ficar sozinho, de morrer abandonado, largado à sorte. Não tenho coragem de contar para ninguém.
Ah, meu amigo, esta sociedade cheia de preconceitos nos ensina a esconder nossos verdadeiros sentimentos.
Aqui, no Brasil, temos uma maneira interessante de nos cumprimentar. Saímos para a rua carregando nossos problemas e quando alguém nos pergunta:
- Tudo bem?
Respondemos sem pensar:
- Tudo bom!
Nada está bom. Estamos desempregados; nosso lar está caindo aos pedaços; nossa empresa está falindo; nosso filho está mergulhado na promiscuidade, nas drogas... Mas quando alguém nos pergunta:
- Tudo bem?
Levantamos a mão e respondemos:
- Tudo bom!
Se Jairo tivesse vivido no Brasil, e se lhe perguntássemos:
- Jairo, tudo bem?
Ele responderia:
- Tudo bom!


Mas ele tinha um problema terrível. Por trás das roupas finas, da aparência bonita, do nome poderoso, do dinheiro e da sua mansão, Jairo trazia um problema: uma filha enferma.
Como ele tinha dinheiro, ele havia procurado os melhores médicos, os melhores especialistas, os melhores hospitais; até que um dia um médico disse:
- Jairo, por favor, não gaste mais dinheiro. A sua filha não tem mais cura; está condenada à morte. Ela tem somente dois meses de vida.
Se hoje um médico viesse a mim e dissesse:
- Sua mãe está condenada à morte.
Eu ficaria muito triste, mas com certeza, me conformaria. Porque, afinal de contas, a minha mãe, com quase 70 anos, já viveu tudo que tinha direito de viver. Mas se esta noite um médico viesse, e me dissesse:
- Pastor, esse seu garoto bonito de 18 anos só viverá mais 2 meses.
Sinceramente não sei se aceitaria com a mesma resignação.


Você perdeu um filho que tinha apenas 15 anos? Perdeu a sua esposa? Perdeu seu marido? Você tem um ente querido à beira da morte? Um ente querido que está no hospital desenganado pela ciência médica? Então você talvez possa compreender como Jairo se sentia
Meu amigo, eu não posso entender o seu problema. Por mais que eu me esforce em fazê-lo, não posso. Somente Deus pode entendê-lo.


O famoso chefe da sinagoga voltou triste para casa. Sua filha não tinha mais cura. Mas, naqueles dias Jesus andava por aquelas terras e Jairo ouviu dizer que leprosos, com a carne caindo aos pedaços, eram levados a Jesus e eram curados. Cegos eram levados a Jesus e eles enxergavam. Paralíticos, que tinham vivido a vida toda rastejando no chão, eram levados a Jesus e imediatamente começavam a andar. Prostitutas eram levadas a Jesus; Ele as olhava com amor, lhes restaurava e lhes devolvia a dignidade. Ladrões, marginais, eram levados a Jesus; Ele acreditava neles e os transformava.
Jairo, em seu coração começou a acalentar a esperança: "talvez Jesus consiga fazer alguma coisa por minha filha". Só que Jairo tinha um problema. Sabe qual era? Ele era culto, inteligente, rico, poderoso e famoso. Você pode dizer:
- Pastor, isso não é problema.


Não deveria ser, mas infelizmente tudo isso às vezes torna-se um problema. Explico: Jairo precisava que Jesus operasse um milagre na vida de sua filha, mas não podia correr atrás de Jesus. Sabe por quê? Os que seguiam a Jesus eram prostitutas, marginais, ladrões, cegos, paralíticos, leprosos, bêbados, viciados, homossexuais, gente perdida, gente que não prestava, gente rejeitada pela sociedade, gente pobre, miserável, inculta, gente que só podia ter nesta vida um pouco de esperança. Eram esses os que corriam atrás de Jesus. Como ele, o grande Jairo, o doutor em teologia, o grande empresário, o líder político e religioso, famoso, cujo nome aparecia nas manchetes dos jornais, rico, inteligente, podia se juntar com a plebe, procurando ajuda?
Ah! meu amigo, esse também pode ser o problema de muita gente hoje. Tudo bem que pessoas simples procurem Jesus, mas um doutor em filosofia? Que a plebe siga a Jesus, tudo bem, mas como um homem rico e poderoso pode acreditar que Jesus seja capaz de fazer um milagre em sua vida? Esta é a tragédia do poder e do dinheiro.


Existem hoje homens vazios, que choram e sangram por dentro, mas não têm coragem de pedir ajuda. Ficam noites inteiras se virando na cama de um lado para outro sem dormir. Precisam de Jesus como qualquer pobre ser humano, mas temem o que os outros vão dizer.
Um dia, você e eu teremos que tirar a máscara de homens duros, que nunca choram, que nunca se emocionam, que só seguem a razão.
Você se considera um homem duro? "Não sinto nada", pode estar pensando, mas lá no fundo está sentindo; as lágrimas estão querendo cair de seus olhos, mas nossa sociedade nos ensinou a colocar uma máscara de dureza, de insensibilidade. Queremos mostrar que somos fortes para que ninguém nos machuque. Só que por dentro vivemos machucados. Precisamos de auxílio, de ajuda, de salvação, mas não temos coragem de pedir ajuda.
Pobre Jairo, enquanto pôde, resistiu; enquanto as forças conseguiram, rejeitou. Mas no momento em que sua filhinha começou a entrar em coma, ele não agüentou mais e deixou de lado o seu orgulho, seu poder, sua fama e sua cultura. Sua filha estava morrendo. Não podia mais ficar na insensibilidade; tinha que entregar-se; tinha que render-se; tinha que se humilhar aos pés do único capaz de resolver os problemas humanos. O texto bíblico diz: "E rogava-lhe muito, dizendo: Minha filha está moribunda, rogo-te que venhas e lhe imponhas as mãos para que sare, e viva" (Marcos 5:23).


Você pode pensar: "Que grande momento para Jairo! Finalmente reconheceu que precisava da ajuda de Jesus". É verdade. Ele reconheceu que precisava da ajuda de Jesus, mas ainda tinha outro problema. Ele era chefe da Sinagoga e gostava de mandar em todo mundo; pensava que os líderes tinham que mandar.

Medite comigo na atitude de Jairo. Ele caiu aos pés de Jesus, e não disse:
-Senhor, minha filhinha está morrendo. Por favor, ajuda-me. Tu que és Deus sabes o que é melhor para mim. Aqui estou rendido aos Teus pés. Esta seria a atitude correta de um cristão. Mas Jairo caiu de joelhos diante de Jesus e tentou dizer a Ele como é que deveria agir. Ele disse isso, através de atos e não de palavras:
- Senhor, preciso da Tua ajuda. Mas, como sou líder, sei como é que as coisas devem ser. Você agora vai se levantar, vai vir comigo, entrará no quarto da minha filha, colocará a mão sobre a cabeçinha dela e minha filha será curada.
Você viu? Um líder humano habituado a liderar todo mundo, queria liderar até Jesus.
Nós também fazemos a mesma coisa hoje. Precisamos desesperadamente de Jesus mas não temos humildade suficiente para aceitar o plano dEle para nossa vida. Na Bíblia está escrito que devemos fazer tudo o que Jesus quer; mas veja o que fazemos: vamos às Sagradas Escrituras e dizemos assim: "Aqui diz branco, e realmente está escrito branco. Mas não é branco, é azul. Aqui diz vermelho, mas vermelho foi no velho testamento, hoje não é mais vermelho, é verde".
Você já pensou alguma vez por que com uma só Bíblia existem tantas igrejas? Quer saber por quê? Porque continuamos fazendo o que Jairo fez; nos ajoelhamos para abrir a Palavra de Deus, mas não queremos obedecê-la. Queremos dirigir a Deus. Não queremos dizer: "Senhor, leva-me por onde Tu sabes que é o melhor caminho para mim."Não fazemos isso. Agarramos a Bíblia, lemos o que está escrito e imediatamente queremos corrigir. "Sim, está escrito, mas não é assim não, é desta outra maneira. Está escrito, mas isso foi antigamente para Israel, hoje, para nós não é desse jeito". É por isso que cada dia aparecem novas igrejas. Nós, os seres humanos, não queremos obedecer o que está escrito. Mas, se a Bíblia diz que é de dia, então é de dia, não é de noite. Não é o que a igreja diz, não é o que o pastor diz. É o que está escrito na Bíblia.
Por que somos assim? Pedimos ajuda de Deus, nos ajoelhamos diante dEle, mas queremos que Ele faça as coisas como nós queremos e não como Ele acha que é melhor.

Jesus podia olhar para Jairo e dizer:
- Vai embora daqui. Quem você acha que é? Só porque você se ajoelhou pensa que pode mandar em mim?
Só que Jesus não faz isso. Jesus tentou ajudar a Jairo e vai tentar ajudar-nos também. Mas olhe a maneira como Ele faz as coisas: foi com Jairo, sem discutir. Imagino que Jairo estava com pressa. Quando saiu da casa sua filhinha tinha entrado em coma. Mas Jesus parecia não ter pressa. Enquanto andava, atendia as necessidades dos que encontrava em seu caminho. Jairo não podia entender e começava a ficar desesperado:
- Senhor, Tu não entendes meu problema, todas essas pessoas podem esperar, mas a minha filha está morrendo.


Você acha que Jesus não entendia o problema de Jairo? Claro que entendia. Não há nada que você possa ter em sua vida que Jesus não compreenda. Não há nenhum problema que você possa estar vivendo que Jesus não conheça. Quando Ele demora a responder sua oração, é porque Ele está querendo ensinar alguma outra lição. Jairo tinha que aprender que o homem não pode dirigir a Deus. Tinha que aprender que o homem tem que colocar sua vida nas mãos de Deus, e ser dirigido por Ele. Foi por isso que Jesus demorou e enquanto isso a filha de Jairo morreu.

Então chegaram os servos da casa de Jairo dizendo:
- Jairo não molestes mais o Mestre, a tua filha já morreu.
Foi aí que Jairo se entregou. Aquele homem que estava querendo dirigir a Deus; que estava querendo dizer a Deus como é que as coisas tinham que ser; aquele homem orgulhoso que não estava disposto a seguir humildemente o que a palavra de Deus diz, quando lhe disseram que a filha morreu, aquele homem se entregou, se rendeu, se abandonou. E só então, quando ele parou de querer mandar, Jesus se aproximou dele e disse:
- Jairo, vamos para casa.
E eu imagino que Jairo com lágrimas nos olhos disse:
- Senhor Jesus, agora não, não preciso mais de ti. Quando eu te pedi, Tu não quiseste ouvir a minha voz, agora não, agora não quero mais. Minha filha já morreu.
E Jesus hoje talvez diria:
- Filho, agora é que eu posso fazer alguma coisa por você. Enquanto você estava abrindo a Minha Palavra e querendo corrigi-la, Eu não podia fazer nada por você. Mas agora que você abre a Bíblia e é suficientemente humilde para seguir o que está escrito, agora sim, posso fazer algo por você.
Veja meu amigo, até aquele momento era Jairo que estava tomando Jesus pela mão e querendo levá-lo. A partir desse momento foi Jesus que tomou Jairo pela mão, e o levou por onde Jesus quis.
Isto é cristianismo. Cristianismo não é tomar Jesus e levar Jesus por onde a gente quer, cristianismo não é acomodar a Bíblia a nossa maneira de pensar. Cristianismo é acomodar a nossa vida e a nossa maneira de pensar ao que está escrito na Bíblia. Esta é, talvez, a maior lição que o cristão tem que aprender, e se para isto Deus tiver que demorar sua resposta aos nossos clamores, Ele o fará. Se para aprender esta grande lição, tivermos que chorar, não é problema, Deus vai permitir que choremos; se tivermos que falir em nossos negócios, não é problema, Ele vai permitir que cheguemos lá no fundo do poço, a fim de que lá, nos lembremos que o cristianismo não é dirigir a Deus, mas ser dirigido por Ele.


Jairo aprendeu a lição com dor, mas que grande dia foi aquele! Ele saiu de casa procurando uma cura, Jesus demorou um pouco, mas tinha para ele uma ressurreição. O que Deus tem para nós sempre é maior do que estamos pedindo.
Está você esperando um favor de Deus e tem a impressão de que Deus está demorando? Sabe por quê? Talvez porque você ainda tenha que aprender a grande lição da vida. E sabe por que mais? Porque Deus tem preparado para você algo maior.
Meu amigo, Jesus entrou na casa de Jairo, e onde Jesus entra, entra o poder e a vitória. Jesus é Deus todo poderoso, e não há nada que Deus não possa fazer. Ao lado de Jesus não há lugar para o temor. A morte não tem poder diante dEle, a enfermidade não pode prevalecer, os vícios, as drogas, a miséria desta vida não têm forças diante dEle. Jesus é o gigante da história.
Quer você abrir seu coração a Deus neste momento? Quer fazê-lo com humildade disposto a seguir o plano divino, apesar dele não combinar com o que você gostaria que fosse? Você está disposto a obedecê-Lo? Está disposto a abrir Sua Palavra e obedecê-la sem tentar colocar suas opiniões humanas? Sente-se só e precisa do companheirismo de Jesus? Tem medo do futuro e precisa que Jesus o ajude a enfrentar a vida sem temor? Está seu lar morrendo como estava a filha de Jairo? Então, por favor, esta é a sua oportunidade. Abra seu coração. Deixe Jesus entrar e tudo ressuscitará, porque Ele é a ressurreição e a vida.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009



Nabal: O Insensato
1 Samuel 25:2-40
Introdução:


· Nabal era um descendente de Calebe que morava em Maom (1Sm 25),a atual Maim, situada a 11 Kms a sudeste de Hebrom.
· Era "mui poderoso e tinha três mil ovelhas e mil cabras… mas eraduro e maligno nas suas obras".
· Durante as suas vagueações, Davi chegou ao local onde Nabal moravae, ouvindo que ele estava prestes a tosquiar as suas ovelhas, enviou-lhedez dos seus homens a pedir-lhe "o que achares à mão para os teus servos".
· O tempo da tosquia era uma ocasião de mostrar hospitalidade e boavontade entre os proprietários de rebanhos. O pedido de Davi eraapenas o que qualquer xeique árabe teria solicitado, mesmo nos temposmodernos, para proteção dos rebanhos de outrem. Nabal, entretanto, fiel ao significado de seu nome ("louco") insultou os mensageiros deDavi. Amontoou insultos contra Davi, como se fosse um ninguém. Nãoadmira, pois, que Davi tenha ficado indignado e tenha marchado contraNabal com 400 homens armados de espadas (12-13).Nabal ofendeu-se com o pedido e disse de um modo insultuoso: "Quem é Davi e quem é o filho de Jessé?" (expressão idiomática da época para se referir a um João-ninguém). Em 1Sm 25, informou-se Abigail (a mulher de Nabal) do fato elogo se deu conta do perigo que o seu lar estava correndo.


I.A SABEDORIA DE ABIGAIL VS A INSENSATEZ DE NABAL (1Sm 25.14-35).
Abigail era mulher tão cheia de sabedoria e atrativa quanto seu marido erainsensato e repulsivo. Quando foi informada, por um de seus servos, como oshomens de Davi tinham sido insultados por seu marido, ela imediatamentecomeçou a agir. O servo calorosamente reconheceu a proteção que havia recebidodos homens de Davi: De muro em redor nos serviram, assim de dia como de noite(15-16).
1. Ela dirigiu-se rapidamente para o campo de Davi, levando consigoimensas provisões (1Sm 25:18). Abigail intercedeu tão cortês e persuasivamente, que a ira de Davi foi aplacada e ele lhe disse:"Bendito o Senhor Deus de Israel, que hoje te enviou ao meuencontro".


2. Quando voltou para casa, viu que o marido se mostrava incapaz decompreender a situação, devido à bebedeira e só no dia seguinte lheexplicou o que acontecera. Ele ficou atordoado com o perigo a queficara exposto, devido à sua conduta. "E se amorteceu nele o seucoração e ficou ele como pedra". Dez dias depois, "feriu o Senhor aNabal e este morreu" (1Sm 25:37, 38).Davi havia concedido a Nabal uma proteção especial; o havia honrado;indiretamente o fez prosperar; o saudou abençoando; mas, não encontrou emNabal a hospitalidade desejada, nem generosidade necessária, tão pouca, a gratidãopara com os benefícios recebidos.Durante muito tempo, os pastores de Nabal tinham levado suas ovelhas parapastar nos campos de Davi. Lá, receberam segurança, proteção e muitas vezescomida. Agora, Davi e seus homens, andando pelo deserto de Basã, precisaram dealimento. Nabal, a quem a Bíblia descreve como homem "duro e maligno em todo oseu trato", negou-se a ajudar aquele de quem sempre recebera ajuda. Issoencolerizou Davi. Tomando quatrocentos homens, ele partiu para destruir o ingratoe malvado Nabal.Davi vem para matar Nabal pelo encoberto do monte (20). Umafenda ou vale estreito e profundo onde Abigail avançava, sem poder ser vista. Davie seus homens vinham montados, descendo pela colina defronte, furiosos deindignação e prometendo completo aniquilamento.Seguindo a fórmula usual dos juramentos, a Septuaginta diz: "Assim façaDeus a Davi" (22), e não aos inimigos de Davi, como diz no hebraico e nesta versãotambém. Abigail, ao inteirar-se da atitude insensata do marido, saiu ao encontro deDavi, levando comida em abundância. Assim, conseguiu apaziguar a ira do futurorei de Israel. A Bíblia descreve Abigail como sendo mulher de "bomentendimento". Entendimento, entre outras coisas, é a capacidade dedescomplicar a vida, de fazê-la simples, de evitar problemas e criar soluções. Mas,do marido de Abigail, Nabal, a Bíblia o chama de filho de belial, perverso, malignoe insensato. Abigail, muito sinceramente e com grande tato, apresentou suasdesculpas (24-25), e prosseguiu: "Ora, meu senhor, assim como Yahweh vive, e tuaalma vive, foi Yahweh que te impediu de cair em culpa de sangue e de te salvarescom tua própria mão..." (26). Ela rogou que sua bênção ("presentes") fossemaceitos, como prova do perdão de Davi (27). Atada no feixe dos que vivem (29).Uma figura derivada do costume de atar coisas valiosas numa saca, e que descreveo grande cuidado do Senhor por Davi. Este ficou profundamente comovido ebendisse a Deus por tê-lo salvo do crime que tencionava praticar, e bendisse Abigailpor tê-lo livrado de vir com sangue (33).


II.A INSENSATEZ DE NABAL O MATOU.
Quando Abigail retornou ao Carmelo, onde havia um banquete, encontrou Nabal completamente embriagado. Mas na manhã seguinte, quando ela lhe relatou o perigo por que havia passado, suas violentas emoções provocaram-lhe um ataque de paralisia (37). Ele ainda viveu por mais dez dias, mas então faleceu, pois feriu o Senhor a Nabal (38). Era o julgamento de Deus sobre Nabal, e embora o Senhor tivesse empregados meios naturais para matar Nabal, o relato bíblico deixa claro que foi o próprio Deus quem o feriu. Quanto à ação de Davi, após a morte de Nabal, casando-se com Abigail, estavam de conformidade com o costume dos chefes orientais, os quais, quando desejavam certa mulher, mandavam-na buscar para o palácio e ela implicitamente obedecia. Também tomou Davi a Ainoã de Jezreel, para ser sua esposa (43) isto é, da Jezreel perto de Maom. Dessa maneira Davi mostra que os costumes das cortes orientais já estavam começando a ser imitados em Israel. Enquanto reinou em Hebrom, Davi teve seis esposas (1Cr 3.1-3).


III.O PERIGO DA INSENSATEZ A LUZ DA BÍBLIA.
· Não há no Antigo Testamento um termo hebraico próprio para expressar o conceito de um homem insensato, o que chamamos hoje em dia de agnóstico ou ateu. Em Salmos 14.1, o nabal, isto é, "o louco", "insensato" é aquele que vive como se Deus não existisse, ou como que, por não possuir o conhecimento de Deus, ele diz: Onde está o teu Deus! (cf. Sl 53.1/ Sl 115:1- 2). Este é o louco que blasfema contra o Senhor (Sl 74.18). O povo de Israel também é definido como "am nabal", isto é, "povo insensato, agnóstico e ateu" em razão de não reconhecer os grandes benefícios proporcionados pelo Senhor Deus de Israel (Dt 32.6). Nestas referências, o termo hebraico nabal designa, provavelmente, não alguém que está sinceramente convicto de que Deus não existe, mas que está mal orientado quanto à existência de Deus por causa da sua própria consciência pervertida pelo pecado. O texto da Septuaginta traduziu o nome Nabal por: Um Homem como Cão. Tradução grega do texto hebraico – verte o termo hebraico citado por aphron, ou seja, "tolo", "ignorante". A expressão grega "Ouk estin Theos", isto é, "Não há Deus" denuncia o estado de completa ignorância e tolice de quem assim pensa e vive.
O agnosticismo e o ateísmo tanto prático quanto teórico é, segundo as Escrituras, a principal causa da corrupção e degeneração do homem (Sl 14; 53; Rm 1.18-32). Sendo Nabal é a figura do "insensato", do homem inconseqüente que vive como se Deus não existisse ou que O confunde com a criação ou com os demais deuses fabricados pela imaginação perversa dos homens ímpios; Nabal possui um "coração insensato" (Rm 1.21). No original a expressão "coração insensato" (asynetos kardia), é literalmente, "sem entendimento de coração". Se considerarmos o termo kardia de acordo com idiomatismo hebraico, podemos afirmar que o agnóstico e ateu são expressões sociais do homem que a bíblia chama de insensato; pois o insensato é "aquele que vive sem o conhecimento de Deus". E, pelo que se depreende de uma leitura atenciosa de Romanos 1.18-32, o agnóstico e o ateu são expressões da ignorância que não conhece o Deus único e verdadeiro. Vários termos empregados por Paulo se relacionam diretamente à falta de episteme ou conhecimento (consciência) correto acerca de Deus. Um hindu, por exemplo, fica com a consciência pesada quando mata uma vaca. Mas não se importa em sacrificar seus filhos nem se impressiona quando as viúvas são obrigadas a se lançar sobre as piras onde os corpos de seus falecidos maridos estão sendo cremados. A consciência se adapta às normas morais de seu ambiente. Assim era Nabal, um homem de ânimo covarde; e, quando se compenetrou de quão perto de uma morte súbita a sua loucura o havia conduzido, pareceu achar-se atacado de uma paralisia ou derrame cerebral. Receoso de que Davi ainda o estava para prosseguir com seus intuitos de vingança, encheu-se ele de terror, e prostrou-se em uma condição miserável de irremediável insensibilidade. Dez dias depois, morreu. A vida que Deus lhe dera tinha sido apenas uma maldição para o mundo. Em meio a seu regozijo e alegria, Deus lhe dissera como disse ao homem rico da parábola: "Esta noite te pedirão a tua alma" (Lc 12:20).


IV.IMPLICAÇÔES CONCLUSIVAS:
Em primeiro lugar, Davi entendeu que não há espiritualidade em se opor aos tolos. Devemos nos sujeitar a Deus, Ele exercerá a vingança pelos seus ungidos.
1.O louco arruma problemas para si mesmo e para os seus.
2.Tais problemas por vezes, são os outros que tem que resolver por ele.
3.O louco é sempre vítima de si mesmo.
4.Será que a maioria dos problemas que enfrentamos não são resultados da nossa própria insensatez?
5.Os Pecados de Nabal: (Não honrar o nome da família que pertencia, viver como si Deus não existisse e afrontar o ungido de Deus, o rei Davi).
6.Outros pecados de Nabal:
·Sua Extravagância o matou. (bêbedo).
·Seu Apetite era seu deus, comia desordenadamente. (glutonaria).
·Sua Afronta ao Ungido de Deus, trouxe o juízo rápido sobre si mesmo. (rebelião e insensatez).
Em segundo lugar, como Davi, devemos estar sempre prontos a ouvir conselhos sábios e ter o controle próprio para corrigir ainda em tempo os impulsos que nos levam a praticar o mal. Davi louvou ao SENHOR por ter impedido que ele tomasse a vingança em suas próprias mãos e por ter executado Nabal pela ofensa que lhe fora feita. Recebeu ainda um grande presente: informou Abigail que desejava tomá-la como mulher e ela consentiu. Sem dúvida ele não só apreciou a sua formosura, mas também o seu caráter e fé no SENHOR. Infelizmente, Davi foi além e tomou outra mulher para si, chamada Ainoã. A poligamia também é uma forma de loucura e sempre oposta ao ideal divino para o casamento (Gn 2:24).

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Arqueólogos descobrem artefatos do tempo de Ezequias



Foi descoberta por arqueólogos, em Israel, uma grande construção que remonta ao tempo do Primeiro e Segundo Templo, e ao reinado de Ezequias, Rei de Judá.Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Biblia Online
A Autoridade Israelita de Antiguidades tem procedido a trabalhos de escavação na aldeia de Umm Tuba, no Sul de Jerusalém. A organização disse ter encontrado um edifício com vários quartos dispostos à volta de um pátio. Os quartos continham muitos artefactos e cerâmica dos períodos do Primeiro e Segundo Templo.
Entre as peças encontradas estavam os selos de funcionários do governo, tais como Ahimelekh ben Amadyahu e Yehokhil ben Shahar, que tinham ambos elevada posição no governo do Rei Ezequias.
Ezequias foi o 13º rei de Judá. A sua vida é mencionada na Bíblia nos livros dos Reis, Crónicas e Isaías. Em Crónicas relata como Ezequias, juntamente com o Profeta Isaías, oraram a Deus para salvar o Reino dos invasores assírios.
Os arqueólogos também encontraram uma inscrição em Hebraico numa jarra, que data de 600 anos após os selos do Reino de Judá. Acredita-se que o edifício foi parcialmente destruído durante a conquista de Jerusalém pelos babilónios.
As novas descobertas, juntamente com outros achados anteriores ajudam a pintar um retrato da existência judaica em Jerusalém durante o período do Primeiro e Segundo Templos.
A Autoridade Palestiniana, que quer controlar o Monte do Templo e Jerusalém Oriental, alega que estes templos judeus nunca existiram.
O Monte do Templo é o local mais sagrado para os judeus. O Primeiro Templo foi ali construído no Século X a.C. pelo Rei Salomão, e abrigava a Arca da Aliança. No entanto, o templo foi destruído em 586 a.C. pelos babilónios.
O Segundo Templo foi construído em 515 a.C., todavia, também este foi destruído em 70 d.C., desta vez pelos romanos.


Fonte: Diário Cristão / Gospel+

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Grande Jejum das Causas Impossiveis



Grande Jejum das Causas Impossiveis


No dia 27 de Setembro estaremos realizando as 09hs o Grande Jejum das Causas impossiveis. Venha trazer a sua causa para apresentarmos ao Senhor Jesus, estaremos jejuando e intercedendo por todos os que comparecerem neste dia. Convide seus familiares para serem abençoados no dia 27 de Setembro as 09hs.

Av.: Abel Correia Guimarães, nº351

Bairro: Quadra Coberta

Pindamonhangaba/SP


Grande Jejum das Causas Impossiveis.

Uma Realização da Igreja Assembléia de Deus "Portas Amarelas" em Pindamonhangaba

sábado, 5 de setembro de 2009



"Dias de Dores e Desgosto"

"Porque todos os seus dias são dores, e o seu trabalho, desgosto; até de noite não descansa o seu coração; também isto é vaidade".Eclesiastes 2:23.

O ser humano foi criado para ser feliz, pleno de gozo, e completo em perfeição. Tão logo o pecado maculou nosso mundo, o próprio Deus proferiu as conseqüências da desobediência: "E à mulher disse: Multiplicarei sobremodo os sofrimentos da tua gravidez; em meio de dores darás à luz filhos; o teu desejo será para o teu marido, e ele te governará... E a Adão disse: Visto que atendeste a voz de tua mulher e comeste da árvore que eu te ordenara não comesses, maldita é a terra por tua causa; em fadigas obterás dela o sustento durante os dias de tua vida... No suor do rosto comerás o teu pão, até que tornes a terra, pois dela foste formado; porque tu és pó e ao pó tornarás".Gênesis 3:16, 17 e 19.

Se olharmos com atenção, os dias de dores e desgosto do homem começaram no Éden. Salomão é um exemplo vivo de cada um de nós: Ele levou muito tempo trabalhando e lutando para conseguir as coisas, para finalmente chegar à conclusão de que tudo nessa vida é vaidade. Deus já havia dito desde o início, que a vida do homem seria canseira e enfado, mas nós sempre vivemos com a ilusão de que alcançaremos sucesso aqui.
O que precisamos aprender é que o sucesso ou o êxito deste mundo, nunca será suficiente para nos satisfazer. Sempre que alcançarmos algo, nosso ego já se fixará em outro objetivo, e parece que estamos numa corrida que nunca acaba. O sábio fala que nossa ambição alcança níveis tão altos, que até involuntariamente o nosso coração não descansa a noite. Infelizmente a nossa luta pela sobrevivência pelo êxito da vida, tem trazido mais dores e desgostos, do que sucesso e alegria. A fadiga, o enfado da alma, tem levado o homem moderno a buscar prazeres para satisfazer o coração. A transitoriedade das coisas e da própria vida tem sido um inimigo mortal do ser humano. Nossa hereditariedade eterna nos compele a buscar a felicidade plena, mas o inimigo tenta nos enganar com as coisas terrenas.
O homem do século XXI tem encontrado alívio na religião. O número de igrejas e membros cresce de uma maneira extraordinária. Entretanto, filiar-se a uma religião, ou mesmo dizer-se seguidor de Cristo, não quer dizer que não teremos dores nesta vida. Há pessoas que pensam que porque se tornaram seguidores de Cristo já não terão mais problemas. Dores, tristeza, e sofrimento, são características da terra do pecado. Jesus disse: "No mundo, tereis aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo".S. João 16:33. Notem que a certeza da vitória de Cristo como nossa vitória, é um fator decisivo para suportar as angústias deste mundo. A Bíblia diz que Jesus foi um homem de dores e que sabe o que é padecer. Cada cristão hoje deveria saber o que é padecer. Salomão fala que o cotidiano é cheio de dores. Por mais que busquemos usufruir a plenitude do nosso viver com as coisas terrenas, nunca alcançaremos a satisfação completa. O aparente êxito que achamos possuir, o sábio chama de vaidade.
As aflições deste mundo estão minando a nossa confiança em Deus. Segui-Lo não é sinônimo de prosperidade, mas de submissão, amor e serviço. O conceito de cristão está sendo mudado por uma cultura religiosa comodista. Mais que nunca precisamos olhar para Cristo. Precisamos aprender dEle como enfrentar as adversidades, e entender que a grandeza desta nossa caminhada está em amar e servir como Ele amou. Os sofrimentos dos dias atuais é um preço muito baixo a ser pago, tendo em vista a glória que vamos receber quando Ele vier. Que neste Sábado, você possa decidir viver por Cristo. Agora e para sempre! Amém!


Pr. Dilson Bezerra

sábado, 22 de agosto de 2009



Caravana da Admiração


Esta saindo uma Caravana para Israel venha fazer parte desta viagem, e conhecer os lugares históricos onde ocorrenram as histórias da Biblia.
Nesta viagem vc irá visitar:
Cairo - Egito, Monte Sinai, Mar Vermelho, Mara, Canal de Suez, Taba Mar Morto, Jericó, Caliléia e em Jerusalém você irá conhecer o Jardim do Gethsemani, onde Jesus passou seus ultimos momentos com os discipulos, o Tumulo de Davi, passará pela Via Dolorosa onde o Mestre JESUS passou levando a Cruz até o Golgota, você também conhecerá o Tumulo onde o Senhor Jesus esteve e ressuscitou, e muito mais entre em contato com o Pr.Ademir e obtenha mais informações e o roteiro desta Grande Viagem.

Será uma Viagem emocionante e abençoadora para sua vida, venha fazer parte da Caravana da Admiração.

Informações pelo Telefone (12) 8146-1250 e fale com o Pr. Ademir Pereira ou pelo e-mail: prademir@terra.com.br

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Declaração do Pr.Marco Feliciano



"Pr. Marco Feliciano fala sobre Globo x Record

“Prezados internautas,Chamo internautas porque a palavra irmão foi depreciada por nós, os evangélicos. Irmãos, no meu entendimento, são pessoas da mesma família que mutuamente dão a vida um pelo o outro. Sabem a expressão “mexeu com você, mexeu comigo?”. É por ai.Não é segredo que os evangélicos já foram considerados a escória da sociedade. Os mais novos podem não lembrar, mas evangélico era sinônimo de idiota, imbecil e sem cultura. Assumir a fé em Cristo era a certeza de ser criticado.O tempo passou e as coisas mudaram.Hoje os evangélicos estão no governo, nas faculdades, nos consultórios e na mídia. Os evangélicos de escória passaram para aceitáveis, isto é, aceitáveis desde que seus pensamentos, ideologias e interesses não confrontem os de outrem. Os evangélicos cresceram e respondem por boa parte do mercado consumidor. Números recentes apontam um total de, no mínimo, 40 milhões de evangélicos; creio que é muito mais. Contudo, podemos ter 50 milhões de evangélicos, mas nunca teremos 5 milhões de irmãos.A Rede Globo, detentora de um império considerável, nos últimos dias tem atacado a Igreja Universal do Reino de Deus. Não posso considerar matéria jornalística o que vi no dia 11 de agosto de 2009 e até o momento. Fiquei com nojo quando vi a reportagem que está mais para o Projac do que para vida real.Não quero cair no mérito das brigas entre Rede Globo e Rede Record. Quero entrar em outra discussão.Lembram do caso da Igreja Renascer, onde o telhado caiu e todo mundo falou que a Igreja era irresponsável? Diversos veículos de comunicação acusando e ninguém, exceto alguns, do qual eu me incluo, prestou solidariedade e acreditou na igreja. Vocês já esqueceram do caso? Eu não.Olhem um trecho da reportagem, uma verdadeira reportagem, abaixo:“Em nota divulgada à imprensa nesta quarta-feira (27/05), o advogado Luiz Flávio Borges D`Urso, que representa a Renascer em Cristo, afirma que teve acesso ao laudo do IC (Instituto de Criminalística), entregue ontem à polícia. Segundo ele, os peritos isentam a igreja de responsabilidade pelo desabamento da sede em janeiro. O acidente causou nove mortes e deixou mais de cem feridos no Cambuci, zona sul de São Paulo”.Fonte: IgospelNos últimos anos o líder da Igreja Pentecostal Deus é Amor foi acusado de evasão de divisas e lavagem de dinheiro. Você esqueceu? Eu não.Para quem não sabe, ou não quer lembrar, informo que parte dos inquéritos foi arquivada e, nos que viraram processos, o missionário David Miranda foi absolvido. Isso ninguém falou? Que coisa, não?Em 2007, o Pr. Silas Malafaia foi acusado de homofobia e discriminação por várias entidades, especialmente a ABGLT. Você lembra?
Para concluir, o resultado foi o mesmo dos casos acima e, para minha felicidade, ele contou com apoio de diversas lideranças evangélicas.O que me causou repúdio, e agora é para os que se dizem irmãos, é a inércia da nossa classe, os evangélicos. Vejo as pessoas falando mal de líderes, igrejas, costumes, doutrinas, etc. Onde estão os irmãos na hora da acusação? Onde estão os que juraram amor à obra?Você pode não ter simpatia pelo pastor Marco Feliciano, Pr. Silas Malafia, Bp. Edir Macedo, Ap. Estevam, Bp. Sônia Hernandes e o missionário David Miranda. Porém, você não pode acreditar em tudo o que vê ou lê; é preciso apurar todos os fatos.A briga entre Globo e Record é nossa? SIM, pois respinga nos evangélicos.Vai dizer que sua igreja não tem a prática do dízimo, libertação e cura? Quer me fazer acreditar que em sua igreja ninguém nunca saiu falando mal dela e de suas práticas?Não defendo a Record como empresa, mas a IURD como igreja. Como defendi os nomes e casos que citei acima. Se estivessem errados, eu seria o primeiro a falar; não estavam. É véspera de ano eleitoral, a Record chegou a cravar 10 pontos na segunda colocada, cresce acima da média e, convenhamos, isso não agrada ninguém.O Pr. Silas Malafaia tem um dos melhores programas evangélicos do país, as obras da Igreja Renascer dispensam comentários e o David Miranda é exemplo para nós.Toda vez que um evangélico é indiciado respinga em nós. Chega! Acabou a farra!
Se você tem algum veículo de comunicação (site, blog, twitter, etc) use-o neste momento. Defenda sua fé!

Quero registrar minha solidariedade e fé para com a Igreja Universal do Reino de Deus, especialmente ao seu líder, Bispo Edir Macedo. Podemos divergir em vários assuntos doutrinários, mas o que uni os evangélicos como um todo é muito maior; Jesus Cristo. Assim como a Rede Record faço a seguinte pergunta. Como a Rede Globo teve acesso ao processo que corre em segredo de justiça? Dia 06 de setembro está chegando. Teremos um programa especial e este assunto veio somente ratificar em meu coração o que devemos fazer.Enquanto isso ore por nós. Ore pela igreja brasileira e para que o evangelho de Cristo não seja prejudicado ou alvo de calúnias. Defenda a sua fé e honre o nome cristão que você leva junto com você.
Um forte abraço,
Pr. Marco Feliciano, DD.”
Fonte: http://www.marcofelicano.com.br/

sábado, 8 de agosto de 2009

Sexta da Retituição




Paz,


Gostaria de Convida-los para participarem conosco da sexta da Restituição,. Durante as sextas deste mês de Agosto estaremos realizando este grande propósito da Restituição, venha fazer este propósito e ser abençoado pelo Senhor.




Sexta as 19:30, na Avenida abel Correia Guimarães, nº351 - Bairro Quadra Coberta na cidade de Pindamonhangaba/SP


terça-feira, 4 de agosto de 2009

Conheça nossa igreja

Deus Tem Feito Maravilhas em nossa Igreja. Venha conhece-la.
Domingo: 09hs Escola Biblica Dominical
19hs Culto de adoração ao Senhor

Quarta da Conquista: 19:30hs Grande Campanha

Sexta: 19:30hs Sexta da Restauração

Esperamos por você, Deus tem um benção para sua família.

sábado, 1 de agosto de 2009

Portas Amarelas


Nossa Igreja, estará realizando neste mês de Agosto, a Sexta-feira da Restituição apartir das 19:30hs.

Venha participar deste propósito, e receber de volta tudo aquilo que você perdeu ao longo destes anos.

Avenida Abel Correia Guimarães, nº351( na mesma Avenida do Senai ) - Quadra Coberta - Pindamonhangaba/SP

sábado, 4 de julho de 2009

Muralhas da alma



Texto: "... pois como imagina na sua alma, assim é..." (Pv 23,7a)


Sai ano, entra ano, e quase sempre fazemos nossos planos, promessas de realizarmos mudanças em nosso comportamento, em nossas atitudes, mas por diversas vezes nos encontramos em situações nas quais desistimos de nossos projetos, da jornada pelo novo, para acabarmos em continuar na mesma situação do ano que se passou. Alguns estudiosos da área de recursos humanos e psicologia até afirmam que tais pensamentos de mudanças ficam nítidos em nossa cabeça por umas duas no máximo quatro semanas.Mas se queremos mudar então porque agimos de tal maneira?

Se queremos tanto uma vida diferente no ano que se inicia porque paramos no caminho com os projetos de mudança, que muitas vezes estão na direção do Senhor, e continuamos a viver como antes?

Poderíamos destacar vários pontos que nos levam a agir assim, vários tipos de motivações que nos levam a desistência, mas a verdade amados, é que esquecemos de princípios básicos da vida cristã e do mundo espiritual e isso se torna a razão principal de nosso fracasso no processo de construção de algo novo. Precisamos entender que toda ação precisa ser planejada, precisa ser trabalhada de tal forma que possa ganhar vida, mas isso não pode apenas acontecer num projeto escrito num papel, ou numa conversa com a família, isso precisa primeiro acontecer dentro de nós, para ser mais preciso na nossa alma.

O projeto precisa ser bem desenhado em nossa alma, e ela precisa fazer parte do projeto, não pode ser mera espectadora, mas sim parte do todo para que o projeto deixe de ser um sonho e se torne uma realidade. Mas para isso precisamos de uma alma limpa, sem entulhos, para que assim ela também possa ser mais protegida e resistente as investidas do inimigo.Se quisermos realmente mudar de vida, de atitudes, precisamos Derrubar as muralhas de Jericó de nossa alma ferida, e levantarmos as muralhas de uma alma chamada Jerusalém, cidade do Senhor.


1- Os ataques do inimigo começam na alma:

É provável que todos nós saibamos disso, é provável que também saibamos que nossos sentidos são portas de entrada para nossa alma, e são eles os alvos do inimigo para nos atingir, mas a pergunta é: Se sabemos disso tudo porque ainda caímos nas armadilhas postas em nosso caminho? A resposta é simples, nossa alma quando está carregada de entulho se torna um imã para mais entulho, ela passa a gostar do pecado, pois o pecado alimenta suas fraquezas e suas feridas podres, o pecado mesmo que momentaneamente traz satisfação para alma ferida, e isso é algo raro em uma alma que está submersa em lixo, em entulhos.

Quando nos deparamos com uma cilada do inimigo até vemos que é algo errado, mas nossa alma acaba por pedir pelo erro, para que pelo menos naquele instante ela se sinta melhor em sua situação de aflição. Isso pode ser exemplificado de várias formas e é possível que você tenha vários "tristemunhos" sobre o assunto; como naquele mês em que você está apertado para pagar algumas contas importantes e ai vem à vontade de não entregar o dízimo, é naquela situação em que falamos do erro dos irmãos para poder esconder o nosso, e por ai vai, os exemplos podem ser infinitos.Essas coisas só acontecem porque o inimigo conhece a Palavra de Deus e ele sabe que assim como sua alma se vê você o é, e deste modo ele tenta de todas as formas fazer com que sua alma fique presa no jugo do pecado, presa na falta de perdão, nas feridas feitas pelas mágoas pelas ingratidões e etc. Sabendo como nossa alma se vê ele têm então, toda uma direção de como nos tentar.


2- Como podemos então mudar essa situação?

Precisamos ser sinceros com nós mesmos, e procurar dentro de nós o que têm de entulho em nossa alma, o que têm de podre, procurar onde esta a falta de perdão, onde está a mágoa, onde está a baixa estima, onde está o desejo do pecado, porque ali com certeza existe uma ferida na alma. Assim que identificarmos essas feridas, esses entulhos, precisamos então tomar uma decisão: não posso mais viver com isso, se quero me aproximar de deus...É chegada a hora de lançar fora todo medo, toda mágoa, toda falta de perdão, todo entulho, todo lixo. Em algumas culturas é normal quando entra um novo ano, o ato de se jogar fora coisas velhas que estão guardadas em casa, mas que não são mais utilizadas, que perderam a utilidade, assim precisamos fazer com nossa alma, jogar fora tudo que é inútil e colocar o amor de Deus no lugar destas coisas. Já em outras culturas é comum pintar as coisas velhas, limpá-las, fazer com que tomem a aparência de algo novo, esse comportamento é o que nos prende no pecado, não precisamos e nem podemos mascarar nossas falhas, não precisamos de novas máscaras, precisamos confessá-las a Deus e nos limpar delas, chega de ficar colocando roupa nova em pecado velho.Diga basta, diga chega, é tempo de parar de lamber feridas, é tempo de limpar a sujeira escondida debaixo do tapete, é tempo de limpeza e do renovo em nossas vidas. Aleluia é tempo de cura... Glórias a Deus.


3 – Precisamos mudar nosso pensamento:

Deus nos fez filhos por adoção em Cristo, então precisamos agir como tais. Precisamos não apenas jogar o entulho fora, mas precisamos realmente mudar nosso modo de ver as coisas, e de como nos vemos também. Lembrem-se sempre: "... assim como minha alma me vê, assim eu sou..."Então mude sua maneira de pensar, de falar sobre si próprio, pare de se ver como um derrotado, um pobre coitado, um João ninguém, comece a se ver como Deus o vê e isso se refletirá em sua vida.Deus te vê como um vencedor, um filho amado e querido, nós somos menina dos olhos de Deus, então comece a se ver dessa forma. Aleluia.Queridos Deus espera de nós, todos os dias, por um posicionamento, espera de nós, a vontade de mudar e o comprometimento com essa mudança, e, sabe por quê? Porque Ele pode nos mudar, Ele pode nos ajudar e quer fazer isso, mas só fará quando dermos o primeiro passo, quando dermos a legalidade para que Ele possa agir.

Deus nunca vai agir se você não o convidá-lo para realizar essas mudanças.Deus está com seus ouvidos atentos e suas mãos estendidas para nos abençoar, assim que ele ouça o barulho do entulho sendo lançado para fora de sua alma e de sua vida a mão Dele estará derramando benção sobre benção na sua vida, e o tão esperado processo de cura na alma.
Seja tu uma benção não apenas em 2009, mas sim em todos os anos de sua vida, até a volta do senhor, pois:
O tempo esta acabando, Jesus esta voltando para buscar sua noiva...

sexta-feira, 15 de maio de 2009



Oração


"Por isso, vos digo: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á. Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e a quem bate, abrir-se-lhe-á." Lucas 11:9-10


ALGUMA VEZ VOCÊ OUVIU UMA CONVERSA PARTICULAR? Nestes estudos, vamos ouvir mensagens urgentes enviadas da linha de frente até Deus, em Seu quartel-general celeste, enquanto grandes santos lutavam contra as forças do mal. Jesus, o maior combatente da oração, mostrou quando, como e sobre o que orar. Em um mundo hostil, separado da glória do Céu e da adoração dos anjos, Ele suportou solidão e tortura mental. Porém, Sua fonte de poder, como veremos, era a comunicação com a Sede.
O que é oração? É "a respiração da alma", "é a chave nas mãos da fé para abrir o celeiro do Céu, onde se acham armazenados os ilimitados recursos da Onipotência," e "é o abrir do coração a Deus como a um amigo". "Nossas orações terão a forma de uma conversa com Deus, como se falássemos com um amigo. Ele nos falará pessoalmente de Seus mistérios. Freqüentemente advir-nos-á um senso agradável e alegre da presença de Jesus. O coração arderá muitas vezes em nós, quando Ele Se achegar para comungar conosco, como o fazia com Enoque".
Ao estudar este tema, pergunte a si mesmo o que a oração fez por você.
A Vida de Oração de Jesus - Lucas 3:21 e 22
1. Lucas 3:21 e 22 diz que Jesus orou no princípio de Seu ministério público. O que Ele incluiu nessa oração? Que resposta Ele recebeu?
Os Evangelhos mostram Jesus orando em cada fase de Sua jornada para a cruz. Vamos caminhar com Ele por cada uma dessas fases para ver como a oração O encorajou e para aprender como Ele pode fazer o mesmo por nós.
Vida de oração de Jesus
Oração em geral
Lucas 5:15 e 16; Marcos 1:35
Lucas 9:18
Lucas 9:28-31
João 17:1-26
A mais longa oração de Jesus registrada na Bíblia, Sua oração em João 17, conclui a instrução que Ele deu aos discípulos no Cenáculo e no Getsêmani. Alguns dizem que este é o capítulo mais profundo da Bíblia.
"Na abertura de Sua oração (v. 1) e três vezes mais tarde (vs. 5, 21 e 24) Cristo chama Deus de Pai. ...
"E esse nome dá a atmosfera de toda a oração. Ouvindo, aprendemos como a oração é natural, com que simplicidade podemos voltar-nos a Deus, certos de Seu interesse em nós e de Sua amorosa bondade para conosco; na garantia feliz de que Ele certamente fará por nós tudo o que o próprio Deus pode fazer, e isso, alegremente e de boa vontade. Cristo falava com Deus face a face, como um homem com seu amigo, como um filho com seu pai, reverente e humildemente".
Pedro, Eu Orei Por Você - Lucas 22:31, 32 e 40-46; 23:34
É quinta-feira à noite, poucas horas antes da prisão e do julgamento de Jesus. Jesus está comendo a Páscoa com Seus discípulos. Ele os adverte que um deles deverá traí-Lo e que todos O abandonariam (Lucas 22:14-62).
Que mensagem especial Jesus tinha para Pedro? Lucas 22:31 e 32
Considerando a força do grego original, podemos dizer que Satanás exige ter cada um de nós. Ele perdeu o Céu e a vida eterna para ganhar este mundo, e luta para iludir cada um de nós e firmar-nos em suas garras. Jesus, porém, contesta essa reivindicação. Ele ganhou o direito de salvar a todos (João 1:29; Rom. 5:18). Ele orou ardentemente por Pedro (Lucas 22:31 e 32). Essas orações deram coragem a Pedro para enfrentar o momento mais escuro de sua vida.
Em seguida, nossa viagem nos leva a testemunhar Jesus orando no Jardim do Getsêmani. Leia Lucas 22:39-44. Uma vez mais, apesar de grande angústia, nós O ouvimos chamar Deus de Pai, indicando que, apesar de o restante de Sua jornada ocorrer em meio a grande tumulto, Ele ainda confia no plano divino.
A oração de Jesus em Lucas 22 assinala o risco que às vezes corremos quando oramos. Se realmente formos sinceros quando orarmos "contudo, não seja feita a Minha vontade, mas a Tua" (v. 42, NVI), devemos estar prontos para beber o cálice que Ele coloca em nossas mãos, mesmo que seja amargo. Lembre-se, porém, de que da mesma maneira como Deus enviou um anjo, "não... para tomar-Lhe o cálice das mãos, mas para fortalecê-Lo a fim de que o bebesse", assim Ele nos fortalecerá.
A vida de oração de Jesus seguiu um padrão que todos podemos seguir. Ele enfrentou antecipadamente cada crise com oração. Antes de avançar para encontrar Seus inimigos ou para enfrentar um julgamento injusto, humilhação, tortura e morte, Ele travou a batalha em oração. Então, Ele estava capacitado a avançar calmamente como um vencedor para enfrentar Seus inimigos.
Por que podemos dizer que a oração de Jesus em Lucas 23:34 expressa a essência do cristianismo?
"Ensina-nos a Orar" - Lucas 11:1-4
Os discípulos de Jesus ficavam profundamente impressionados quando O observavam interceder com Deus antes de atender às multidões diariamente. Eles queriam ter o mesmo tipo de relacionamento com Deus. Então, pediram: "Senhor, ensina-nos a orar". Jesus atendeu ensinando-lhes a "Oração do Senhor". Leia Lucas 11:2-4.
A Oração do Senhor tem duas partes: a primeira trata da glória de Deus, a segunda, das necessidades humanas. Cada seção tem três partes. As primeiras três são petições no interesse de Deus, de Seu reino, e de Sua vontade. As três seguintes são pedidos de alimento, perdão e proteção.
"Santificado seja o Teu nome." Embora possamos ter familiaridade com Deus como um filho com seu pai, devemos sempre colocar-nos em reverência perante Sua assombrosa majestade. Os seres que estão mais próximos ao trono no Céu inclinam sua face diante dEle (Apoc. 19:4).
"Venha o Teu reino. Faça-se a Tua vontade, assim na Terra como no Céu". Devemos ter pressa pelo fim do reino do mal, quando Jesus será Rei dos reis e Senhor dos senhores e assumirá Seu grande poder para reinar (Apoc. 11:15-17). "Seja feita Tua vontade" significa primeiro que a vontade de Deus se tornará a nossa, e segundo, que nosso mundo torturado se tornará sujeito à Sua vontade.
"Dá-nos Hoje" - Mat. 6:11-13
A segunda metade da oração-modelo de Jesus enfatiza nossas necessidades. O que significa "o pão nosso de cada dia"? Mat. 6:11
Este pedido é muito adequado a regiões do mundo onde a tarefa de fornecer comida a uma família faminta é uma luta constante. Nosso Pai ouve esses pedidos de ajuda. E os cristãos podem ajudar a atender a essas orações.
"Pão de cada dia" inclui todas as nossas necessidades humanas, especialmente uma provisão diária de pão espiritual (João 6:35).
6. Que outro pedido devemos fazer ao Senhor enquanto oramos? Mat. 6:12; Lucas 11:4
Este pedido baseia-se na tradição de perdoar as dívidas durante o ano sabático (Deut. 15:1 e 2). O ano sabático de libertação é um tipo do "ano aceitável do Senhor" (Lucas 4:18 e 19), quando Jesus, por Sua graça, nos liberta das dívidas, concedendo o perdão dos pecados. Aqueles que estavam esmagados pela opressão da dívida conhecem a alegria da libertação. Devemos experimentar o mesmo alívio e gratidão quando Jesus perdoa nossos pecados.
Em Mateus 18:23-35, Jesus declarou que é uma ofensa criminosa reter o perdão de um semelhante. A indisposição para perdoar – o ressentimento, o ódio, uma atitude vingativa – envenena a pessoa que abriga, amargurando as fontes da vida e trazendo doença mental e física. Por nosso próprio interesse, bem como pelo do ofensor, devemos perdoar.
Os Princípios de Oração de Jesus - Lucas 11:5-13; 18:1-14
Lucas 11:9. O grego enfatiza a perseverança na oração. "Continue pedindo", "continue buscando", "continue batendo", e seu Vizinho divino abrirá a porta e lhe dará o que você precisa.
"As pessoas às vezes podem pensar em Deus como Alguém que preferiria não ser aborrecido pelas pessoas, mas Seu verdadeiro caráter como um Pai solícito, amoroso e generoso está claramente demonstrado nos vs. 9-13. A relutância do amigo em levantar-se e prover o que era necessário de maneira alguma representa a Deus. ..
"Nosso Salvador identificou-Se com nossas necessidades e fraquezas, tornando-Se um suplicante, um solicitador junto de Seu Pai, para buscar dEle novos suprimentos de força, a fim de que pudesse sair revigorado para os deveres e provações. Ele é nosso exemplo em todas as coisas. É um irmão em nossas fraquezas, pois ‘como nós, em tudo foi tentado’ (Heb. 4:15); mas, sem pecado como era, Sua natureza recuava do mal; suportou lutas e agonias de alma num mundo de pecado. Sua humanidade tornou-Lhe a oração uma necessidade, e privilégio. Encontrava conforto e alegria na comunhão com o Pai. E se o Salvador dos homens, o Filho de Deus, sentia a necessidade de orar, quanto mais devemos nós, débeis e pecaminosos mortais que somos, sentir a necessidade de fervente e constante oração!" – (Caminho a Cristo).
A oração é a linha de força entre a Terra e o Céu, ligando-nos à mente e ao poder de Deus e nos permite comunicar-nos com Ele como com um amigo. Mediante constante ligação com Ele, podemos superar provações, vencer tentações e repartir as bênçãos do Céu com outros.

quinta-feira, 14 de maio de 2009


Consagração


Após termos nascido de novo, existe ainda muita coisa para Deus operar em nossa vida, e existe também muita coisa que nós podemos fazer para Deus. Mas para isso é preciso uma total entrega da nossa vida para Ele. Precisamos permitir que Ele faça o Seu trabalho em nós, precisamos permitir que Ele nos use e nos guie no decorrer da estrada que se estende à nossa frente. Tudo isso requer consagração da nossa vida. Isto inclui a nossa permissão para que Ele trabalhe em nós, para que Ele nos use e nos dirija em nossos caminhos.

Se quisermos encher um frasco com medicamentos, o processo é extremamente fácil. Seguramos o frasco e introduzimos lá os medicamentos. Mas os que são pais sabem que quando queremos dar algum medicamento a uma criança, temos pela frente uma tarefa difícil. Por vezes temos que exortar, pedir, distrair, prometer alguma recompensa à criança. Se tudo isso não resultar, temos de chamar o irmão mais velho, colocar a criança na cama e todos precisam ajudar a segurar a criança enquanto ela ingere o medicamento.

Meus irmãos, Deus não nos trata como neste exemplo. Quando não queremos que Ele faça o Seu trabalho em nós, Deus espera. Ele é extremamente paciente. Deus espera o nosso consentimento. A nossa consagração é o nosso consentimento.

Por vezes encontramos "nascidos de novo" com cinco ou mais anos, que estão envolvidos nos "trabalhos da Igreja" e que se esforçam para dar o seu melhor. No entanto ainda não conseguiram adquirir os novos valores de "novas criaturas".Este fenómeno é muitas vezes explicado pela falta de entrega total a Deus. Em nenhum momento da sua vida fizeram uma aliança com Deus em que Lhe tenham dito:
Eu quero estar em Tuas mãos, para que Tu operes em mim, por mim e para que Tu me guies no Teu caminho.

Somente na medida que permitirmos que Ele trabalhe em nós é que estamos aptos para trabalhar para Ele. Somente na medida em que formos guiados por Ele é que podemos ser usados por Ele.
O tema da consagração é o tema favorito de muitos pregadores. Mas muitas vezes a ênfase está no homem a oferecer-se a Deus para o ministério – e isso não é totalmente correcto.

1 – A base da consagração


Quando alguma coisa importante é feita por Deus ou pelo homem, a base de tal acto precisa de estar clara. Se Deus exige que nos entreguemos a Ele em que Ele baseia tal exigência? A Bíblia mostra que a questão da consagração é fixado no aspecto da compra. "Não sois de vós mesmos", diz a Palavra, "porque fostes comprados por preço. Agora pois glorificai a Deus no vosso corpo". E em outro lugar se diz: "Porque se vivemos para o Senhor vivemos, se morrermos para o Senhor morremos. Quer pois vivamos ou morramos, somos do Senhor" (Romanos 14:8) A Bíblia diz também que somos "escravos" de Deus. Um escravo é aquele sobre quem o seu senhor tem todos os direitos por tê-lo comprado. O termo "escravo" não é muito agradável, mas todos os que temos experimentado a graça do Senhor, conhecemos a doçura de sermos Seus escravos.
O Senhor comprou-nos por um preço altíssimo e agora nenhum de nós tem direito sobre si mesmo. A autoridade sobre as nossas vidas foi entregue em Suas mãos pelo direito da compra.
Agora no que diz respeito a nós, desde que fomos comprados por Ele, se não nos entregarmos a Ele, estamos a agir como escravos foragidos. Somos como Onésimo (ver Filemon).
A base da verdadeira consagração é de ordem legal. Não é baseada em constrangimento de amor como muitos cristãos pensam. Eles entregam-se ou não a Deus na proporção que sentem ou deixam de sentir o Seu amor. Mas na consagração de Deus, a nossa consagração não é uma questão opcional. Fomos comprados como Seus escravos, e quer gostemos ou não, pertencemos a Deus.


2 – A Força que gera a Consagração


Já dissemos que o amor não é a base da consagração, toDavida o amor é a força que a gera. Existiam escravos que percebiam que a autoridade sobre a sua vida estava na mão dos seus senhores, e cerravam os dentes com amargura de alma com o propósito de servi-los. Mas talvez você se lembre do que é dito em Êxodo 21 sobre o escravo que no final de seis anos de serviço, podendo ser um homem livre, declarou: "Eu amo o meu senhor, não quero sair livre." Em consequência disso, o seu senhor o faria chegar à porta e lhe furaria a orelha. Submetendo-se a isso, o escravo na realidade queria dizer: "Por amor a meu senhor, eu quero ser seu escravo para sempre." Esta é a verdadeira consagração!
Consagração tem uma base; consagração também tem uma força geradora: a base é a redenção, e a força geradora é o Seu amor. Há um versículo que diz: "Rogo-vos pois irmãos, pelas misericórdias de Deus que apresenteis os vossos corpos por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus" (Romanos 12:1). E um outro que diz: "O amor de Cristo nos constrange." Mas porque devemos render-nos ao constrangimento do amor? Porque Um morreu por todos, logo todos morreram. E Ele morreu por todos para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou" (II Coríntios 5:14-15). Todos os que têm uma verdadeira experiência de consagração, têm no mínimo, senão talvez muitas vezes, conhecido o toque do amor de Deus. Sem este toque do Seu amor em nós, a consagração é uma coisa amarga. Ninguém precisa suplicar a alguém que já conhece o amor de Deus, para que ela se entregue a Ele. A entrega é espontânea.


3 – Significado da consagração


Mas afinal qual é o significado da consagração? A Bíblia apresenta-nos uma resposta clara: "Apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo". Quando nos consagramos, isso não significa que nos tornamos pregadores ou pessoas que viçam a trabalhar a tempo integral na obra de Deus, significa sim que nos tornamos um sacrifício. O sacrifício aqui mencionado pelo apóstolo é a oferta queimada que era oferecida como aroma suave para Deus. Era o Seu alimento.
Que é alimento? Alimento humano é aquilo que satisfaz o homem; alimento de Deus é aquilo que satisfaz a Deus. Mas que era essa oferta queimada? O Velho Testamento explica claramente. Precisava de ser um boi que normalmente lavrava o campo ou puxava um carro, mas um dia esse boi era transferido da sua actividade original para um ambiente totalmente diferente. Ele era morto, esfolado, lavado, cortado em pedaços, colocado no altar, e se fosse aceite por Deus, um fogo o consumiria até se transformar em cinzas. Cinzas – esta é a última coisa a que qualquer coisa pode ser reduzida, é o fim de tudo. Mas repare que era quando o boi estava completamente reduzido a cinzas no altar, que ele subia até Deus como aroma suave e dava satisfação ao Seu coração.
Examine a história da Igreja e veja quantos há que antes de experimentarem o impacto do amor de Deus, eram como poderosos bois lá fora no mundo, lavrando grandes campos ou puxando grandes carros, mas quando o amor de Deus caiu sobre eles, num instante eles estavam no altar, enquanto que muitos dos seus amigos e familiares lamentavam semelhante "perda". Muitas pessoas com grandes talentos e brilhantes perspectivas têm-se "destruído" no altar de Deus. Para quê? Para dar alimento a Deus, para dar satisfação ao Seu coração.


4 – O Propósito da consagração


Todas as vezes que uma verdadeira consagração é feita ao Senhor, o Seu propósito evidencia-se na vida consagrada a Ele. Aquela vida torna-se activa para Deus. O facto de sermos alguém para Deus, é baseado na oferta de nós mesmos para Ele. Somente aqueles que têm sido reduzidos a nada no altar, podem servi-Lo agradavelmente.


5 – O resultado da consagração


Deixe-me dizer-lhes que o resultado da consagração é que todos os nossos planos são cortados. A verdadeira consagração não só acaba com todos os planos do mundo, mas também acaba com todos os planos cristãos. A consagração será posta à prova pelo mundo cristão e pelo mundo não-cristão. Amados e amadas no Senhor, desejo que se tornem homens e mulheres verdadeiramente úteis nas mãos do Senhor, mas permitam que os alerte para uma grande armadilha que está à frente – a armadilha da fama no mundo cristão.
Examinem-se nestes cinco aspectos e vejam onde ficam na questão da consagração. Espero que sejam fieis para examinar as escrituras, nas quais esta exposição é baseada. No caso de estarem em falta em algum aspecto, podem confiar na graça do Senhor para suprir o que falta.

sábado, 4 de abril de 2009


Como fugir do mundo da sensualidade



Hoje em dia com o surgimento da Internet, tornou-se “EXTREMAMENTE FÁCIL” o acesso a qualquer tipo de material, seja qual tipo for, tanto para edificação como para ruína espiritual. Infelizmente este último parece estar prevalecendo cada vez mais. Existem muitas pessoas, até mesmo entre os cristãos, que estão arruinando suas vidas espirituais devido ao mau uso da Internet. Às vezes, por curiosidade, entram em sites de conteúdo pornográfico, baixam ou assistem vídeos e fotos eróticas, entram em salas de bate-papo erótico, e por ai vai... Sozinho, quarto fechado, ninguém por perto para ficar sabendo... É muito fácil ter acesso a tudo isso ! Basta clicar e lá está !!! Tudo diante de seus olhos !!! Ainda mais se for Internet de banda larga. Isso sem falar nos DVD’s e VHS, que as bancas estão vendendo cada vez mais baratos e aos montes! Misericórdia!!!Enfim, o fato é que nunca houve tanta abertura para se viver diante de tanta sensualidade explícita como se vive nos dias de hoje. É uma praga!!! Foi refletindo sobre este assunto que o Senhor colocou no meu coração o desejo de escrever esta matéria. O Senhor praticamente me intimou a escrever esta matéria!!! Escrever matérias nem é minha especialidade! É incrível, me sinto como o apóstolo Paulo, escrevendo uma carta para ajudar a diversas pessoas! Considero esta matéria como um tipo de “AJUDA DIVINA URGENTE” para ajudar a muitas pessoas a se libertar deste tipo de aprisionamento carnal. Leia abaixo os motivos pelas quais não vale a pena viver no mundo da carnalidade, ou seja, da prostituição, do adultério, da sensualidade desenfreada, de ficar vendo imagens ou vídeos pornográficos e ficar se masturbando praticamente quase que todo dia. Se você ler, absorver e praticar, você vai ver como vai ser muito mais fácil ser liberto deste mal que assola e destrói a vida daqueles que dão brecha para a atuação maligna nestes dias de extrema perversão sexual que estamos vivendo.



Quando uma pessoa dá brechas para viver na carne, ou seja, prática de sexo à vontade com quem der na cabeça (o famoso “ficar”), tanto na forma de adultério (entre casados) como de prostituição (entre solteiros), ou até mesmo a consumir pornografia, acontece uma espécie de reação carnal em cadeia, ou seja, uma descarga de hormônios da libido do cérebro para o corpo todo, fazendo com que haja uma sensação de “prazer”. Esta reação carnal, uma vez iniciada, é praticamente impossível detê-la. Por isso que, quando nos vemos envolvidos nesta prática, há a sensação de estarmos presos numa cadeia de escravidão, a escravidão do pecado.



O GRANDE SEGREDO NO ENTANTO, ESTÁ EM NÃO DAR INÍCIO A ESTE EFEITO DEVASTADOR!!!

Leia abaixo as principais desvantagens que acontecem quando nos deixamos levar por estas práticas sensuais, por meio de brechas que nós mesmos abrimos. (consumo de pornografia, sexo desenfreado, ficar com quem quiser, etc...)Principais desvantagens de acionar a libido (sensualidade desenfreada):1. Ocorre uma descarga de hormônios da libido pelo corpo todo, fazendo com que se pense apenas em sexo, sensualidade & cia (libidinosidade). Não há sensação de culpa nestes momentos. Há um prazer enganoso, enganoso porque embora se sinta um “prazer agradável” no momento que se pratica, imediatamente após ter consumado o ato em sí, segue-se geralmente a terrível sensação de culpa, o peso na consciência!!! Na verdade a sensação é de se viver como um animal irracional (Na natureza, apenas os animais praticam sexo com quem cruza o caminho deles). Nós, seres humanos, feitos à imagem e semelhança de Deus, não fomos feitos para vivermos assim! NÃO HÁ GOZO REAL EM SE VIVER ASSIM, pois a nossa alma não se sente preenchida tendo um instinto animal (libido) no comando o tempo todo.



A VERDADEIRA SEDE DE NOSSA ALMA É SACIADA APENAS BEBENDO-SE DA ÁGUA CRISTALINA QUE SÓ CRISTO TEM PARA DAR, como Ele mesmo disse: "Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna." João 4:14 ! O resto é como se estivesse bebendo água de esgoto!!! Você já se imaginou bebendo água de esgoto??? Pois é exatamente isso que se faz quando se vive para satisfazer os desejos perversos da carne.2. O ser humano não tem estrutura para viver o tempo todo sob efeito da libido (sensualidade desenfreada), mesmo porque não nasceu para isso. Não há propósito nenhum em viver uma vida de promiscuidade!!! (prostituição, adultério, o “ficar”, etc...) Deus nos fez com o propósito de nos relacionarmos única e exclusivamente com a pessoa que Ele escolheu para viver ao nosso lado, que é o propósito do casamento. Neste caso sim, podemos desfrutar do verdadeiro propósito pela qual Deus criou a sensualidade, uma das alegrias do casamento, desde que desfrutada de forma saudável.. O que passar deste propósito é adultério, prostituição, promiscuidade & cia!!!3. Enquanto se está mergulhado nos prazeres perversos da carne, uma voz na consciência (que é o Espírito Santo convencendo-nos do pecado) fica em segundo plano, reprovando toda a prática de libidinosidade que a carne está desfrutando no momento e ao mesmo tempo fica dizendo toda verdade sobre a prática, passando a sensação de estarmos sendo reprovados por uma comissão espiritual !!! Porém, uma vez sob efeito da sensualidade desenfreada, quem é que vai dar importância pra essa voz da consciência??? Além disso, existe uma onda que se diz que "quanto mais proibido, mais gostoso fica!!!" - Misericórdia!!!4. Perda de tempo útil, que poderia ser aproveitado em coisas úteis, como por exemplo, na realização de projetos de vida, entretenimentos saudáveis, conversas com amigos e familiares e até mesmo momentos para alimentar a alma com a palavra e louvores a Deus. É perda de tempo porque uma vez estando nesse estado, acontece um efeito bola-de-neve, que não se pensa em outra coisa, a não ser saciar-se cada vez mais deste alimento carnal. Misericórdia!!! Esta é uma característica típica de satanás, como ladrão, faz-nos perder tempo, saúde e até a salvação !!! Jesus Cristo já havia dito sobre isso em João 10:10 “O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância. ”5. A prática destas devassidões carnais gera a gravação desses momentos (cenas) na mente, fazendo com que todo o corpo fique tenebroso, gerando o terrível e aprisionador efeito de laço, onde não há como parar e deter tal sensação!!! – Misericórdia !!! O próprio Jesus Cristo já havia dito sobre isso em Mateus 6:22,23 "a candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá luz. Se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso.”


Não há comparação em se viver LIVRE, LIBERTO DESTA PRISÃO ESPIRITUAL, pois não tem coisa melhor para a alma do que ser dirigida, controlada e alimentada pelo Espírito Santo, onde há harmonia, paz, domínio próprio, ou seja, O VERDADEIRO GOZO PARA A ALMA. É uma real sensação de se beber água cristalina !!! (mesmo!!!) É realmente como JESUS CRISTO disse em João 4:14 “Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna.”


LEIA ESTES CONSELHOS BÍBLICOS PARA NÃO ENTRAR NESTE LAÇO MALIGNO: COLOSSENSES 3:5"Mortificai, pois, os vossos membros que estão sobre a terra: a prostituição, a impureza, o apetite desordenado, a vil concupiscência e a avareza, que é idolatria;" GALATAS 5:13-2513 Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não useis, então, da liberdade para dar ocasião à carne, antes pelo amor servi-vos uns aos outros. 14 Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. 16 Digo, porém: Andai em Espírito e não cumprireis a concupiscência da carne. 17 "Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne; e estes opõem-se um ao outro; para que não façais o que quereis." 18 Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei. 19, 20, 21 Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o Reino de Deus. 22 Mas o fruto do Espírito é: o amor, o gozo, a paz, a longanimidade, a benignidade, a bondade, a fidelidade. 23 a mansidão, o domínio próprio; contra estas coisas não há lei. 24 E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências. 25 Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito. I CORINTIOS 6:12-2012 "Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma." 13 "Os manjares são para o ventre, e o ventre, para os manjares; Deus, porém, aniquilará tanto um como os outros. Mas o corpo não é para a prostituição, senão para o Senhor, e o Senhor para o corpo." 14 Ora, Deus, que também ressuscitou o Senhor, nos ressuscitará a nós pelo seu poder. 15 Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei, pois, os membros de Cristo e fá-los-ei membros de uma meretriz? Não, por certo. 16 Ou não sabeis que o que se ajunta com a meretriz faz-se um corpo com ela? Porque serão, disse, dois numa só carne. 17 Mas o que se ajunta com o Senhor é um mesmo espírito. 18 "Fugi da prostituição. Todo pecado que o homem comete é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo." 19 Ou não sabeis que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? 20 "Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus." FILIPENSES 4:8“Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.”



APLICANDO ESTAS PALAVRAS EM SUA VIDA, VOCÊ ESTARÁ TOTALMENTE LIVRE DO DOMÍNIO DA CARNE !!!


DICA: Imprima este artigo e guarde-o, quando se sentir meio fraco espiritualmente, pegue-o novamente e leia-o. Assim o Senhor sempre te fortalecerá !!!

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Obrigado.

Olá,
Que a Paz de Cristo estja com todos os que tem visitado este Blog.
Espero que através deste Blog você e toda a sua família sejam edificados com a palavra de Deus.
Ouça também, de segunda a sexta as 06hs o programa de radio apresentado pelo pastor Gilberto Neves, e seja abençoado pela palavra de Deus, sintonize em 104,3 FM ou pelo site www.gospelvale.com.br . ( click aqui )
Que Deus Abençoe a todos.

quarta-feira, 1 de abril de 2009



Água e a fonte a jorrar para a vida eterna
João 4.1-42
Quando, pois, o Senhor veio a saber que os fariseus tinham ouvido dizer que ele, Jesus, fazia e batizava mais discípulos que João (se bem que Jesus mesmo não batizava, e, sim, os seus discípulos), deixou a Judéia, retirando-se outra vez para a Galiléia.
E era-lhe necessário atravessar a província de Samaria. Chegou, pois, a uma cidade samaritana, chamada Sicar, perto das terras que Jacó dera a seu filho José. Estava alí a fonte de Jacó. Cansado da viagem, assentara-se Jesus junto à fonte, por volta da hora sexta. Nisto veio uma mulher samaritana tirar água. Disse-lhe Jesus: Dá-me de beber. Pois seus discípulos tinham ido à cidade para comprar alimentos. Então lhe disse a mulher samaritana: Como, sendo tu judeu, pedes de beber a mim que sou mulher samaritana (porque os judeus não se dão com os samaritanos)? Replicou-lhe Jesus: Se conheceras o dom de Deus e quem é o que te pede: Dá-me de beber, tu lhe pedirias e ele te daria água viva. Respondeu-lhe ela: Tu não tens com que a tirar, e o poço é fundo; onde, pois, tens a água viva? És tu, porventura, maior do que o nosso pai Jacó, que nos deu o poço, do qual ele mesmo bebeu e, bem assim, seus filhos e seu gado? Afirmou-lhe Jesus: Quem beber desta água tornará a ter sede; aquele, porém, que beber da água que eu lhe der, nunca mais terá sede, para sempre; pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna. Disse-lhe a mulher: Senhor, dá-me dessa água para que eu não mais tenha sede, nem precise vir aqui buscá-la. Acudiu-lhe Jesus: Vai, chama teu marido e vem cá; o que lhe respondeu a mulher: Não tenho marido. Replicou-lhe Jesus: Bem disseste, não tenho marido; porque cinco maridos já tiveste, e esse que agora tens não é teu marido; isto disseste com verdade. Senhor, disse-lhe a mulher: Vejo que tu és profeta. Nossos pais adoravam neste monte; vós, entretanto, dizeis que em Jerusalém é o lugar onde se deve adorar. Disse-lhe Jesus: Mulher, podes crer-me, que a hora vem quando nem neste monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós adorais o que não conheceis, nós adoramos o que conhecemos, porque a salvação vem dos judeus. Mas, vem a hora, e já chegou, quando os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores. Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade. Eu sei, respondeu a mulher, que há de vir o Messias, chamado Cristo; quando ele vier nos anunciará todas as coisas. Disse-lhe Jesus: Eu o sou, eu que falo contigo.
Neste ponto chegaram os seus discípulos e se admiraram de que estivesse falando com uma mulher; todavia, nenhum lhe disse: Que perguntas? Ou: Por que falas com ela? Quanto à mulher, deixou o seu cântaro, foi à cidade e disse àqueles homens: Vinde comigo e vede um homem que me disse tudo quanto tenho feito. Será este, porventura, o Cristo? Saíram, pois, da cidade e vieram ter com ele. Nesse ínterim, os discípulos lhe rogavam dizendo: Mestre, come. Mas ele lhes disse: Uma comida tenho para comer, que vós não conheceis. Diziam então os discípulos uns aos outros: Ter-lhe-ia, porventura, alguém trazido que comer? Disse-lhes Jesus: A minha comida consiste em fazer a vontade daquele que me enviou, e realizar a sua obra. Não dizeis vós que ainda há quatro meses até a ceifa? Eu, porém, vos digo: Erguei os vossos olhos e vede os campos, pois já branquejam para a ceifa. O ceifeiro recebe desde já a recompensa e entesoura o seu fruto para vida eterna; e, dessarte se alegram, tanto o semeador como o ceifeiro. Pois no caso é verdadeiro o ditado: Um é o semeador e outro é o ceifeiro. Eu vos enviei para ceifar o que não semeastes; outros trabalharam e vós entrastes no seu trabalho. Muitos samaritanos daquela cidade creram nele, em virtude do testemunho da mulher, que anunciara: Ele me disse tudo quanto tenho feito. Vindo, pois, os samaritanos ter com Jesus, pediam-lhe que permanecesse com eles; e ficou ali dois dias. Muitos outros creram nele, por causa da sua palavra, e diziam à mulher: Já agora não é pelo que disseste que nós cremos; mas porque nós mesmos temos ouvido e sabemos que este é verdadeiramente o Salvador do mundo.

Ezequiel 47.1-12
Depois disso me fez voltar à entrada do templo, e eis que saíam águas debaixo do limiar do templo, para o oriente; porque a face da casa dava para o oriente, e as águas vinham debaixo, da banda direita da casa, da banda do sul do altar. Ele me levou pela porta do norte, e me fez dar uma volta por fora, até à porta exterior, que olha para o oriente; e eis que corriam as águas ao lado direito. Saiu aquele homem para o oriente, tendo na mão um cordel de medir; mediu mil côvados, e me fez passar pelas águas, águas que me davam pelos artelhos. Mediu mais mil, e me fez passar pelas águas, águas que me davam pelos joelhos; mediu mais mil, e me fez passar pelas águas que me davam pelos lombos. Mediu ainda outros mil, e era já um rio que eu não podia atravessar, porque as águas tinham crescido, águas que se deviam passar a nado, rio pelo qual não se podia passar. E me disse: Viste isto, filho do homem?
Então me levou, e me tornou a trazer à margem do rio. Tendo eu voltado, eis que à margem do rio havia grande abundância de árvores, de uma e de outra banda. Então me disse: Estas águas saem para a região oriental, e descem à campina, e entram no Mar Morto, cujas águas ficarão saudáveis. Toda criatura vivente que vive em enxames, viverá por onde quer que passe este rio, e haverá muitíssimo peixe, e aonde chegarem estas águas tornarão saudáveis as do mar, e tudo viverá por onde quer que passe este rio. Junto a ele se acharão pescadores; desde En-Gedi até En-Eglaim haverá lugar para se extenderem redes; o seu peixe, segundo as suas espécies, será como o peixe do Mar Grande, em multidão excessiva. Mas os seus charcos e os seus pântanos não serão feitos saudáveis, serão deixados para o sal. Junto ao rio, às ribanceiras, de uma e de outra banda, nascerá toda sorte de árvore que dá fruto para se comer; não fenecerá a sua folha, nem faltará o seu fruto; nos seus meses produzirá novos frutos, porque as suas águas saem do santuário; o seu fruto servirá de alimento e sua folha de remédio.


Cansaço: Jesus, cansado, faz uma parada junto ao poço de Sicar. O fato de ele se cansar é sinal de fragilidade, o que nos lembra sua encarnação. Jesus é uma pessoa de verdade. Mas ele é também mais que isso. Como o prólogo deste evangelho declara, Jesus é o Verbo feito carne. Como tal, ele habita entre nós. Portanto, há o lado positivo desse seu cansaço. Não só decorre da encarnação, como também é valorizado por ela. E isso tem conseqüências para os outros seres humanos, no sentido de que os seus cansaços, quaisquer que sejam, são enobrecidos e sagrados.
Sede: O mesmo pode ser dito da sede. A sede é a preocupação primeira de Jesus junto ao poço. Pedir água para beber é eminentemente humano, universal. O corpo humano depende de água. O pedido do Salvador mostra a sua semelhança a todo indivíduo humano que tem necessidade física. Ademais, confere dignidade a essa necessidade. Mas, a "sede" nessa passagem implica mais que mera necessidade corpórea. O cansaço pode ser um fardo resultante das atividades do dia. Mas a sede tem outras dimensões, assim como a água que sacia a sede.


Águas vivas: Vemos que se trata de algo mais que mero H2O. O assunto aqui são "águas vivas" que possuem um extraordinário poder para levar à vida eterna. E isso não é imaginação de comentarista moderno. O profeta Ezequiel já conhecia essas "águas vivas". A imagem serve de simbolismo também para Jesus junto ao velho poço. Beber da água daquele poço, assinala Jesus, terá de ser sempre repetido. Já as águas vivas que ele oferece, saciarão para sempre a sede de quem delas beber.

O templo de Ezequiel: Ezequiel, no seu tempo, teve visões de águas vivas jorrando da mais sagrada das fontes, o templo, coração de Israel. Correntes de água jorravam da parte debaixo do limiar do templo, bem como das suas partes laterais. Por serem abundantes e poderosas, essas águas formavam rios profundos que purificavam as águas poluídas e as tornavam produtivas. É uma visão antecipada das águas cristalinas da Nova Jerusalém da era que virá. O livro do Apocalipse nos fala das águas que saem "do trono de Deus e do Cordeiro" (22.1).
Lugares sagrados: Se, por um lado, Ezequiel viu o templo de Jerusalém como fonte de onde saíam as águas vivas, por outro, os samaritanos podiam com razão retrucar dizendo "E quanto a nós?". Porque eles se recusavam a aceitar Jerusalém como o centro sagrado por excelência. Não surpreende, pois, que a mulher junto ao poço comparasse os dois centros sagrados rivais. Seria o templo de Jerusalém o lugar certo para adorar, juntamente com os judeus? Ou seria melhor adorar no Monte Gerizim, conforme a tradição samaritana? Implícito aí, havia uma outra questão que se aplicava aos dois lugares sagrados: a preferência por um desses lugares devia necessariamente significar desprezo do outro? Ou será que, como talvez pensasse a mulher, só um dos dois lugares podia ser o verdadeiro lugar de adoração?
Adoração em espírito e em verdade: Jesus expressa sua preferência pela adoração no templo de Jerusalém porque "a salvação vem dos judeus". Todavia, mesmo considerando essa forma de adoração como um passo conducente à salvação, Jesus em seguida aprofunda o diálogo com a mulher e abre novas perspectivas. Na situação atual, nem os samaritanos, nem os judeus preenchem os requisitos para adorar a Deus como se deve. Não basta, para isso, ter um lugar sagrado; tampouco, ser uma nação santa. A adoração autêntica pressupõe ir além dos atos religiosos convencionais herdados. Requer inspiração e disponibilidade para ser inspirado. Só assim a adoração será "em espírito e em verdade". Trata-se de um projeto para o futuro, um ideal distante? Talvez sim, porque Jesus acrescentou que o tempo próprio está ainda por vir. Entretanto, contém implícito um desafio para o presente. Porque "vem a hora, e já chegou" (João 4.23). O paradoxo e a agudeza da frase estão precisamente nesta conjunção "e", que nos leva à urgência do presente e à exigência de uma resposta imediata.
O papel do Epírito: Obviamente, responder a essa exigência não é nada fácil. Menos ainda se dependemos exclusivamente de nossas limitadas forças. Todavia, a adoração "em espírito e em verdade" pressupõe a ação do Espírito, o Deus uno, porque "Deus é Espírito". É assim que o Salvador introduz uma nova dimensão na sua fala junto ao poço. O Espírito é a única força que gera e possibilita a adoração em espírito e em verdade. Não há outro sentido a dar às palavras concernentes à água viva que sai do poço. Quando João cita outras palavras de Jesus sobre águas vivas que fluirão dos seus seguidores, ele imediatamente acrescenta "Isto ele disse com respeito ao Espírito" (João 7.38-39). Não é por acaso que na Igreja Ortodoxa é comum invocar o Espírito com as palavras "Vem e habita em nós".


Sacramentos e símbolos: À semelhança de outros cristãos, e desde há muito, os fiéis da Igreja Ortodoxa expressam a imagem das águas vivas por meio de sacramentos e símbolos. Os símbolos são a parte visível do sentido profundo e inexaurível do ato sacramental. As águas do batismo, por exemplo, são santificadas pela invocação do Espírito Santo para que "faça morada" em nós. Assim, cada membro da igreja que se acerca da fonte batismal recebe a graça que emana daquela água viva e vivificante. Em anos recentes, tornou-se comum oferecer água benta para uso dos fiéis. Essa água pode ser aspergida sobre as pessoas ou sobre os alimentos. Dessa maneira, verdades que ultrapassam nossa compreensão adquirem certa visibilidade concreta; e podem então ser "definidas, aprendidas e digeridas interiormente".


Missão: Afinal, a mulher junto ao poço atendeu à exortação para adorar em espírito e em verdade? O que se sabe ao certo é que ela abandonou seu precioso cântaro e foi logo anunciar aos seus vizinhos as possibilidades que o visitante representava para todos eles. Ela estava persuadida de que a presença daquele personagem devia ser divulgada. Nisto consistia seu zêlo missionário. E a urgência com que ela cumpriu essa missão sugere que ela compreendeu de certa maneira as palavras do seu interlocutor.
Perguntas: A mulher junto ao poço tinha pouca consciência das limitações das perguntas que fazia a Jesus, mesmo quando essas perguntas pudessem ter um amplo significado. Apesar de formuladas de maneira simplista, suas perguntas beiravam, por assim dizer, o campo da sociologia, da topografia, da hidrologia, da arqueologia e da tradição bíblica. E graças ao seu interlocutor, ela foi, aos poucos, adquirindo iluminação e certa compreensão nova sobre tais questões. Suas perguntas, de início, podiam até entediar o interlocutor. Ocorre, porém, que elas foram levadas a sério e pontos cruciais foram detectados nelas, o que permitiu a ela avançar na busca da verdade. De fato, ela trouxe também alguma contribuição ao diálogo. Por exemplo, a persistência das suas perguntas merece admiração. Além disso, não fossem as perguntas feitas por ela, nós hoje não teríamos as respostas que temos. O fato é que, se a mulher samaritana tivesse sido retraída – aceitando comportar-se segundo as regras segregacionistas da sua época - ela jamais teria avançado rumo à verdade. Por sua parte, Jesus aceitou de bom grado dialogar com ela, mesmo sabendo que ela era "estrangeira", e sobretudo mulher; o que parece ter perturbado os discípulos.


Água com restrições?: A segregação não impediu Jesus de pedir água à mulher junto ao poço. Ele ignorou a opinião corrente de que os samaritanos eram ritualmente impuros e que seus utensílios domésticos eram impróprios para os judeus. No tocante à água viva, é obvio que Jesus não iria impôr restrições ao seu uso, o que seria contrário à noção da adoração em espírito e em verdade que ele apregoava. Mais tarde, em Jerusalém e no templo, Jesus confirmou e estendeu o convite a todos os sedentos: "Se alguém tem sede, venha a mim e beba" (João 7.37).

Recursos esgotados: Jesus é o canal por onde vem a água viva e vivificante, em antecipação ao Espírito "que ainda não foi dado". Mas, cabe perguntar se houve algum tempo em que Jesus sentiu essa água esgotar-se nele. Há aquela exclamação na cruz que pode levar a pensar assim, embora essa circunstância não seja conclusiva: "Tenho sede" (João 19.28). Essa exclamação poderia ser um reflexo de sua condição física num momento específico. Daí a reação dos guardas presentes, e a disposição de Jesus em aceitar o que estes lhe deram de beber. Mas, acaso não teria a sua sede também um sentido mais profundo? Não seria ela reflexo daquela outra exclamação, ou citação, na cruz: "Deus meu, Deus meu, por que me abandonaste?" Esse é um dos momentos mais angustiantes da encarnação: Jesus revê sua própria vocação como Filho de Deus. A sede que ele sente parece contradizer os ensinamentos que ele dera junto ao poço. E ele mergulha no mais profundo abismo da angústia, para de lá sair vencedor.


Graça superabundante: Quando o livro do Apocalipse aborda a esperança da era que virá, ele nos mostra uma Nova Jerusalém onde toda sede será saciada. O autor começa essa parte de sua narrativa com a voz que diz: "Eu, a quem tem sede darei de graça da fonte da água da vida" (21.6), e, a seguir, reitera o convite: "Aquele que tem sede, venha" (22.17). No plano terreno, os novos aderentes da igreja podem ter ouvido essas palavras quando do seu batismo. Mas elas tem implicações muito mais amplas: a graça superabundante é livremente acessível a todas as pessoas.